www.mossoro-reporter.blogspot.com

Loading...

Total de Visitas deste Blog

contador gratuito
TOTAL DE VISITAS ATÉ O MOMENTO

Cadastre-se você também, ja somos 46 brothers no Clube Vip *****

RESERVADO PARA SUA PUBLICIDADE

Calendario

28 de agosto de 2014

ESTIMA IBGE QUE O BRASIL TEM 202.768.562 HABITANTES


Dado se refere a 1º de julho de 2014 e foi publicado no 'Diário Oficial'.

Estado mais populoso continua sendo São Paulo, com 44 milhões.

Levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicado nesta quinta-feira (28/8) estima que o Brasil tem 202.768.562 habitantes. Os dados estão no "Diário Oficial da União" e a data de referência usada é 1º de julho de 2014.

Segundo o IBGE, desde a última estimativa, de julho de 2013, o Brasil tem mais 1.735.848 habitantes — um aumento de 0,86%. O texto também traz as estimativas populacionais de cada município do país.

Entre as unidades da federação, o estado mais populoso continua sendo São Paulo, que conta com mais de 44 milhões de residentes.

O estado de Minas Gerais tem 20,7 milhões de habitantes e o Rio de Janeiro tem 16,46 milhões. A Bahia tem 15,12 milhões e o Rio Grande do Sul, 11,20 milhões. O menos populoso é o estado do Amapá, com 750.912 habitantes.

São Paulo lidera o ranking das 10 cidades mais populosas com 11.895,593 habitantes. Em seguida estão: Rio de Janeiro (6.453.682), Salvador (2.902,927), Brasília (2.852.372), Fortaleza (2.571.896), Belo Horizonte (2.491.109), Manaus (2.020.301), Curitiba (1.864.416), Recife (1.608.488) e Porto Alegre (1.472.482).

Quando as capitais são retiradas do ranking de municípios mais populosos, Guarulhos (SP) lidera com 1.312.197 habitantes. Em seguida estão: Campinas (SP) com 1.154.617, São Gonçalo (RJ) com 1.031.903, Duque de Caxias (RJ) com 878.402 e São Bernardo do Campo (SP) com 811.489.

Entre as 5 menos populosas estão Serra da Saudade (MG) com 822 moradores, Borá (SP) com 835 habitantes, Araguainha (MT) com mil habitantes, Oliveira de Fátima (TO) com 1.091 habitantes e Anhanguera (GO) com 1.093 moradores.

A projeção das populações é feita anualmente a pedido do Tribunal de Contas da União (TCU) e serve de base para o repasse de recursos do orçamento aos municípios.


Quinta-feira, 28 de agosto, 2014

SERVIDORES DA SECRETARIA DE OBRAS DE ÁGUAS LINDAS RECEBEM NOVOS UNIFORMES


A Prefeitura de Águas Lindas de Goiás por meio da secretaria de Obras e Serviços Urbanos entregou dos uniformes para todos os servidores da pasta. Todas as categorias receberam os uniformes que foram divididos em categorias, os garis de cor abóbora, operários do Departamento de Obras vermelho, motoristas de coloração cinza.

A uniformização dos servidores que prestam serviço diariamente nas ruas da cidade faz parte do planejamento da atual gestão e aguardava a conclusão do processo licitatório para a sua aquisição e um resgate de um compromisso firmado com a categoria.

Cada servidor recebeu duas camisas, duas calças, um chapéu ou boné para a proteção do sol e um par de botas. A medida veio em boa hora haja vista que nesta época do ano o sol forte e a baixa umidade do ar trazem grandes riscos à saúde do servidor.

O prefeito Hildo do Candango falou sobre a importância desta uniformização, “Os nossos servidores trabalhavam sem um mínimo de proteção, e por isto realizamos o trabalho de saneamento dos recursos, e na medida em que as coisas vão melhorando vamos cumprindo todas as pendências com as categorias. E para segurança de todos, hoje os servidores da secretaria podem ser visto de longa distância evitando assim possíveis acidentes”, disse o prefeito.

A servidora Wanda Silva estava feliz em receber os uniformes, “Antes tínhamos que usar nossas próprias roupas e se desgastava com rapidez, agora podemos economizar mais, além do que temos mais proteção do sol que é muito forte”.

Outras categorias também receberão a uniformização, o processo está em andamento e o objetivo e atender a todas as categorias que apresentaram este tipo de demanda.
Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

Fotos: ASCOM

Quinta –feira,28 de agosto, 2014.


SECRETARIA DE EDUCAÇÃO COMEMORA DIA DO COORDENADOR PEDAGÓGICO EM ÁGUAS LINDAS


Representando o prefeito Hildo do Candango, a primeira-dama Aleandra de Sousa participou ao lado do secretário de Educação Silvério Correa do Dia do Coordenador Pedagógico.

O evento organizado pela Secretaria de Educação contou com a presença de diretores e coordenadores pedagógicos das escolas municipais, onde participaram de um almoço em homenagem ao seu dia.

A primeira-dama e secretária de Ação Social, Aleandra de Sousa, afirmou que os coordenadores exercem um papel importante, pois são o elo entre professores e alunos, dando todo o apoio possível para que o trabalho dos professores tenha resultados satisfatórios.

“Neste dia mais que especial, expressamos nossa admiração pelo seu compromisso diário na missão de promover a educação de qualidade e com responsabilidade”, afirmou Aleandra.

Já o secretário de Educação fez questão de parabenizar os coordenadores. “O coordenador é acima de tudo o agente que traça metas e projetos a curto, médio e longo prazo, cobra, pesquisa, enfim, auxilia bastante a direção escolar e ajuda enriquecer a educação de nossa escola. Juntamente com a direção e com os professores, no sentido de promover um dinamismo à escola”, completou.

Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura
Fotos: ASCOM

Quinta-feira, 28 de agosto, 2014


27 de agosto de 2014

NO JN, MARINA É CONSTRANGIDA PARA EXPLICAR USO DE JATO



Novidade nas eleições à Presidência da República, Marina Silva (PSB) enfrentou seu mais duro momento na quarta-feira(27/8) desde que entrou na disputa, após a morte de Eduardo Campos num acidente aéreo, no dia 13 de agosto.

As quatro primeiras perguntas foram dedicadas ao tema do avião usado por Campos, o que deixou a candidata visivelmente incomodada. Pressionada, Marina deu uma nova roupagem à nota divulgada nesta semana pelo PSB, segundo a qual o avião foi emprestado por empresários para a campanha e o pagamento pelo uso seria feito mais tarde. "Nós tínhamos a informação de que era um empréstimo, cujo ressarcimento seria feito no prazo legal, o que, segundo a Justiça Eleitoral, pode ser feito até encerramento da campanha", disse a ex-senadora.

Oficialmente, o jato Cessna Citation 560XL estava no nome do grupo AF Andrade, cujos proprietários negavam relação com Campos. "A aeronave de prefixo PR-AFA, em cujo acidente faleceu seu presidente, Eduardo Henrique Aciolly Campos, nosso candidato à Presidência da República, teve seu uso — de conhecimento público – autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira", afirmou Roberto Amaral, presidente nacional do PSB. Marina disse ainda não ter conhecimento de nenhuma ilegalidade sobre aos proprietários e defendeu a investigação que está sendo conduzida pela PF. "Nosso interesse e determinação é que as investigações sejam feitas com todo rigor para que não se cometa injustiça com a memória de Eduardo."

Sem conseguir apresentar nenhuma de suas propostas de campanha durante a entrevista, a candidata mostrou segurança e alívio ao responder os demais questionamentos, aproveitando para narrar sua trajetória. Filha de seringueiros, Marina cresceu no Acre, enfrentou diversas doenças e só foi alfabetizada aos dezesseis anos. "Talvez você não conheça bem a minha trajetória, eu faço questão de explicar porque você tem um certo desconhecimento sobre o que significa ser senadora do cenário de onde vim. No meu Estado, para vencer uma eleição era preciso ser filho de ex-governador, ter um rádio ou um jornal para falar bem de si", disse, ao ser questionada sobre a derrota para seus adversários durante a disputa presidencial em 2010, quando concorreu ao cargo pelo Partido Verde.

Marina minimizou o conflito de opiniões com seu vice, o deputado federal Beto Albuquerque, sobre temas como cultivo de transgênicos. "Essa historia de que a Marina é intransigente não é tão verdadeira assim", disse, tentando livrar-se da pecha de ser inflexível. Ao final da entrevista, Marina defendeu a necessidade de reforma política e disse que não disputará a reeleição caso seja eleita em outubro. "Eu quero ser a primeira presidente que assume o compromisso de que não vai buscar uma nova eleição. Não quero ter um mandato que comprometa o futuro das próximas gerações", disse.

(Publicado pela Redação com foto da internet)

Quarta-feira, 27 de agosto, 2014



POR 5 VOTOS A 1 TSE BARRA REGISTRO DE CANDIDATURA DE ARRUDA AO GOVERNO DO DF


Julgamento durou mais de três horas e só terminou na madrugada de quarta-feira (27/8)
Por 5 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) barrou a candidatura do ex-governador José Roberto Arruda (PR) ao Palácio do Buriti com base na Lei da Ficha Limpa. O julgamento durou mais de três horas, foi iniciado na noite de terça-feira (26/8), suspenso e concluído no início da madrugada desta quarta (27/8). A instância superior decidiu manter o posicionamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que, há 15 dias, tinha considerado do candidato ficha suja por ter uma condenação de segunda instância.

Os ministros João Otávio Noronha, Laurita Vaz, Luiz Fux e Admar Gonzaga acompanharam o voto do relator, Henrique Neves. O único que se proclamou a favor da candidatura de Arruda foi Gilmar Mendes, que não ficou até o encerramento da sessão.

Além de ter julgado o caso de Arruda, o TSE também alterou a análise dos prazos para registro de candidatura. Antes do caso do ex-governador, a lei eleitoral considerava a data de entrega da documentação para registro como aquela a ser considerada para atestar as condições de elegebilidade do candidato. Ocorre que Arruda entregou seu pedido no dia 4 de julho e foi condenado por improbidade administrativa no dia 9 do mesmo mês pela 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios.

Ainda assim, foi barrado por TRE e TSE com base na Lei da Ficha Limpa, modificando o entendimento anterior. No final do julgamento de Arruda, os ministros decidiram, por maioria, que condenações posteriores ao pedido de registro (Almiro Marcos)


Quarta-feira, 27 de agosto, 2014

26 de agosto de 2014

IBOPE: MARINA ENCOSTA EM DILMA E VENCERIA 2º TURNO


Pesquisa aponta um novo cenário eleitoral no país com a entrada da ex-senadora na disputa: segundo turno é uma realidade e a presidente-candidata já não é mais a favorita

Pesquisa Ibope divulgada na tarde de terça-feira(26/8) aponta o crescimento da candidatura de Marina Silva, do PSB, que aparece com 29% das intenções de voto, cinco pontos porcentuais a menos do que a presidente-candidata Dilma Rousseff, que lidera a disputa com 34%. O tucano Aécio Neves marca 19%.

Segundo o levantamento, contratado pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, Pastor Everaldo, do PSC, e Luciana Genro, do PSOL, têm 1% das intenções de voto cada. Os demais concorrentes somam 1%. A sondagem aponta que o 7% do eleitorado pretende votar em branco ou nulo, e 8% estão indecisos. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Foi a primeira pesquisa feita pelo instituto com a presença de Marina, substituta de Eduardo Campos, morto em acidente aéreo no último dia 13. A entrada da ex-senadora mostra um cenário eleitoral completamente diferente: o número de indecisos e dos que declaravam votar em branco ou nulo caiu. Além disso, os números indicam que o segundo turno é uma realidade: os adversários de Dilma somam 51%, ante 34% dela.

A simulação de segundo turno entre Marina e Dilma também confirmam um cenário temido pelo PT desde a consolidação da candidatura da ex-senadora. Segundo a pesquisa, Dilma seria derrotada por Marina por 45% a 36%. Contra Aécio, Dilma ganharia por 41% a 35%.

A rejeição à presidente-candidata continua sendo a mais alta entre os três primeiros colocados – 36%. Aécio marca metade desse patamar – 18% –, e Marina tem 10%.

Foram feitas 2.506 entrevistas em 175 municípios, de 23 a 25 de agosto. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00428/2014.


Terça-feira, 26 de agosto, 2014

MARINA USA MEMÓRIA DE EDUARDO E AÉCIO ALERTA SOBRE ‘BOATOS’


Os três candidatos à Presidência da República mais bem colocados nas pesquisas, Dilma Rousseff, Aécio Neves e Marina Silva adotaram táticas diferentes no horário eleitoral do rádio desta terça-feira, 26, o quarto dia desde o início da campanha.

Candidata que mudou o quadro eleitoral ao entrar na disputa, Marina Silva falou sobre a expectativa em torno de seu nome. “Senti que tinha um País inteiro olhando para mim e aguardando para me escutar”.

A candidata do PSB usou palavras como “fé”, “esperança” e “mudança” e adotou discurso parecido com o do antigo companheiro de chapa, Eduardo Campos, morto no último dia 13 de agosto. “Os brasileiros querem manter conquistas e corrigir os erros. Não querem mais ficar paralisados como estamos agora, nem querem andar para trás”, disse, criticando, sem citar nomes, seus dois principais adversários, Dilma Rousseff e Aécio Neves. O programa foi encerrado com o já tradicional “não vamos desistir do Brasil”.

Candidatos - Dilma Rousseff Aecio Neves Marina Silva copy O programa do PSDB voltou a apresentar Aécio como “o futuro presidente do Brasil”. Nele, além do perfil de bom gestor de Aécio – “que arrumou Minas Gerais” segundo um jingle – o tucano teve reforçado o lado pai. O candidato disse que leva a filha em viagens de campanha para que ela conheça o Brasil.

O tucano se esforçou para combater “boatos de época de eleição”, como o de que é contra o Bolsa Família. “O Bolsa Família vai continuar no nosso governo”, afirmou Aécio, que alertou porém para a necessidade de melhorias no programa. “O Bolsa Família é um dinheiro que não pode faltar para ajudar famílias como a da Dona Brenda no presente. E no futuro?”, questionou o mineiro. Como alternativa, apresentou um programa que implantou no governo de Minas Gerais, o Poupança Jovem.

A candidata à reeleição começou falando do Minha Casa Minha Vida e dos avanços trazidos pelo programa de habitação. Além de apresentar dados de casas já construídas, o locutor ressaltou que “Dilma já garantiu” a terceira fase do MCMV. Além do MCMV, programas como o Pronatec e o ProUni foram citados. “Não há força capaz de parar as mudanças que vão fazer o Brasil viver novo ciclo de desenvolvimento”, disse a presidente.

Com críticas focadas em governos tucanos, e ainda sem ataques a Marina Silva, o locutor ressaltava que “antes da Dilma e do Lula”, as pessoas “não tinham carro nem viajavam de avião” e “passavam mais tempo desempregadas do que empregadas”. As melhorias na vida dos brasileiros nos últimos 12 anos foram o tema dominante durante o tempo que o PT teve disponível.

Dilma disse saber que “ninguém vive de passado”, mas usou o argumento de que é a mais preparada para continuar garantindo mudanças. “É importante que cada um se pergunte quem pode garantir mais avanços. Quem está ligado ao passado ou quem criou o maior ciclo de mudanças da história do País”.

O candidato do PSC, Pastor Everaldo, voltou a falar em isenção de imposto de renda para quem ganha menos de R$ 5 mil e sobre os problemas da Petrobras. Everaldo garantiu que não vai decepcionar seus eleitores. Seu jingle falou sobre “fé em um Brasil melhor pra gente”.
(Folha online)


Terça-feira, 26 de agosto, 2014

25 de agosto de 2014

CONDENADOS CONSEGUEM BRECHAS NA LEI DA FICHA LIMPA PARA SEGUIR COM CANDIDATURAS


Quatro em cada dez candidatos a governador em todo o país são alvo de processos na Justiça ou em Tribunais de Contas. Ao todo, 63 participantes das eleições deste ano nos Estados respondem por 327 ocorrências, sendo que 46 já foram condenados - dez deles em Tribunais de Justiça, por improbidade administrativa e outras irregularidades. Os números foram levantados pelo projeto Quem Quer Virar Excelência, da Transparência Brasil. A organização - cuja principal bandeira é o combate à corrupção - recorreu a mais de 120 fontes para identificar ocorrências na Justiça de todos os candidatos à Presidência e aos governos estaduais. O "pente-fino" atingiu ainda todos os que concorrem a uma vaga no Senado e na Câmara dos Deputados no Paraná.

Dos processados, 36 respondem na Justiça por irregularidades referentes ao exercício de função pública. São 249 os processos que se enquadram nessa caracterização, dos quais 170 por improbidade administrativa e/ou dano ao erário. Na definição legal, atos de improbidade administrativa envolvem condutas consideradas inadequadas ao exercício da função pública e podem ser alvo de punição caso haja enriquecimento ilícito, lesão ao erário ou violação aos princípios da administração pública.

Regras - Os processados não estão, necessariamente, envolvidos em irregularidades - eles podem ser declarados inocentes na etapa do julgamento. Mesmo os condenados acabam escapando - por razões diversas - de restrições impostas na Lei da Ficha Limpa. Tecnicamente, portanto, não podem ser considerados "fichas sujas". Uma exceção é o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR). Ele foi declarado "ficha suja" pelo Tribunal Regional Eleitoral, mas sua defesa recorreu e aguarda julgamento em segunda instância.
Arruda é um dos quatro candidatos a governador que já ocuparam o cargo no passado e foram cassados. Ele perdeu o mandato por infidelidade partidária, em um desdobramento do escândalo em que se envolveu ao ser filmado recebendo dinheiro, no caso que ficou conhecido como Mensalão do DEM, legenda na qual se abrigava na época. Cassio Cunha Lima (PSDB), que tenta voltar à cadeira de governador da Paraíba, foi cassado quando ocupava o cargo, em 2009. Ele foi acusado de comprar votos ao distribuir cheques à população como parte de um suposto programa assistencial.

Mão Santa (PSC), candidato no Piauí, foi cassado em 2001, acusado de abuso de poder econômico. O quarto cassado é Marcelo Miranda (PMDB), candidato em Tocantins, que perdeu o cargo de governador também em 2009 por compra de votos e abuso de poder econômico. Todos os quatro são alvo de outros processos na Justiça.

(Com Estadão Conteúdo)

Segunda-feira, 25 de agosto, 2014


POSTE ESTÁ A PONTO DE CAIR NA DESCIDA DO JARDIM BARRAGEM VI


Um poste de eletricidade e iluminação pelo que tudo indica foi atingido por algo e está a ponto de cair na descida que dá acesso ao bairro Jardim Barragem VI em Águas Lindas de Goiás no entorno do DF.

Moradores do local informaram desconhecer o motivo pelo qual fez com que o poste que é de concreto ficasse desta maneira. Cabem à comunidade aguardar providências antes que o poste caia deixando o povo sem energia e o que é pior causando um acidente.

Com informações de Rafael Silva


Segunda-feira, 25 de agosto, 2014


24 de agosto de 2014

MARINA VISITA REDUTO NORDESTINO E AFIRMA QUE CUMPRE PROMESSA DE CAMPOS


A ex-senadora e candidata à Presidência da República, Marina Silva, visitou neste domingo o Centro de Tradições Nordestinas na Zona Norte de São Paulo. Segundo a presidenciável, o ato representa o cumprimento de uma promessa que o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos havia feito antes de morrer, em acidente de avião, no litoral de São Paulo.
De acordo com Marina, o Centro de Tradições é um símbolo da entrada em São Paulo dos nordestinos que são obrigados a deixar suas terras em busca de melhores oportunidades. A presidenciável afirmou que o cumprimento da promessa feita por Campos é para reiterar o compromisso de sua candidatura em mostrar que as políticas sociais e de desenvolvimento econômico podem possibilitar melhoria de vida para todos os brasileiros.
"Nesse sentido, nosso compromisso é com políticas como o Bolsa Família e manutenção deste programa, que é uma conquista da sociedade brasileira e que deve ter continuidade em qualquer que seja o governo", afirmou Marina. Ela disse ainda que, caso eleita, o Bolsa Família será mantido e aperfeiçoado. Marina destacou ainda a importância do programa social principalmente para os mais jovens.
Marina se comprometeu ainda a suprir a necessidade dos jovens de ter uma educação em tempo integral.
(Com Estadão Conteúdo) 


Domingo, 24 de agosto, 2014.

A PRESIDENTE QUE SÓ PENSA EM ELEIÇÃO


Dilma passou a semana longe do Palácio do Planalto, priorizando a gravação de imagens para a campanha eleitoral. E não vê problema nisso

No primeiro dia de propaganda eleitoral na televisão, a presidente Dilma Rousseff foi apresentada como uma gerente ocupada, que "acorda cedo, trabalha muito e tenta aproveitar qualquer tempinho que resta para ter uma vida normal, como qualquer pessoa". Surgiram imagens da chefe do governo cortando tomate e colocando macarrão em uma travessa – usando tailleur azul, maquiagem e joias refinadas. Estes seriam os únicos momentos em que ela deixa de lado o papel de chefe da nação. Mas, pela programação de Dilma na última semana, a prioridade não é governar o Brasil. Toda a agenda da semana foi ocupada por eventos de campanha.

Na segunda-feira, Dilma não teve compromissos oficiais: passou o dia se preparando para a entrevista que deu à noite ao Jornal Nacional. Na terça, visitou obras das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, em Rondônia. Também esteve na linha de transmissão Porto Velho-Araraquara. O evento aconteceu para que ela pudesse gravar imagens para a propaganda eleitoral. Na quarta-feira, a presidente visitou alunos do Pronatec em Belo Horizonte. O objetivo, novamente, era produzir cenas para a TV. Na quinta, outra viagem: Dilma foi a Pernambuco gravar imagens nas obras da Transposição do Rio São Francisco. Ela visitou os trechos do empreendimento (uma das obras mais atrasadas de seu governo) nas cidades de Cabrobó e Floresta.

Depois, almoçou com operários e pegou o avião presidencial rumo a Paulo Afonso (BA). Eis o compromisso de Dilma na cidade, segundo a agenda divulgada pelo Palácio do Planalto: "Visita à Comunidade Batatinha - visita à propriedade da Dona Nalvinha". Dona Nalvinha, que recebeu atéimplantes dentários para poder participar da gravação, é atendida pelo programa federal Água Para Todos. Sexta-feira foi a vez de ir a Porto Alegre – e não é a primeira vez que Dilma arranja uma agenda na cidade para, em seguida, aproveitar o fim de semana ao lado da família. À tarde, andou de trem metropolitano para filmar cenas para a TV. Às 19 horas, a presidente participou de um comício ao lado de políticos locais. Antes disso, a agenda estava vazia: Dilma passou a maior parte do tempo com filha e o neto, que vivem na cidade. A equipe de campanha ainda agendou para o sábado uma série de encontros com prefeitos gaúchos.


As visitas a obras para gravar peças de propaganda começaram há três semanas. À frente nas pesquisas e já conhecida pelos eleitores, a presidente (que tem sido vaiada em suas últimas aparições públicas sem plateia domesticada) priorizou o horário eleitoral na TV. O fato de o PT ter quase 11 minutos em cada bloco, quase o dobro de Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) juntos, ajuda. As bem elaboradas peças publicitárias, coordenadas pelo marqueteiro João Santana, são a arma na qual o partido confia para assegurar a vitória.

O dilema da presidente-candidata é o mesmo enfrentado por Fernando Henrique Cardoso e Luís Inácio Lula da Silva. Mas, nos casos dos antecessores, havia uma tentativa de discrição que Dilma parece ter abandonado. A petista ainda restringe sua participação em comícios a eventos realizados à noite. Mas a gravação de imagens para a propaganda eleitoral é feita no meio do que seria o expediente de trabalho, com a frágil desculpa de que a chefe de governo está cumprindo agenda mista.

Questionada pelo site de VEJA na última sexta-feira, no Rio Grande do Sul, a chefe do governo respondeu que a vistoria das obras também é papel de presidente. E sinalizou ser onipresente: "Estamos numa época bendita: a tecnologia permite que eu acompanhe tudo o que eu quiser em tempo real. Você passa a ser múltipla: ao mesmo tempo em que você está fazendo uma coisa, você está fazendo outra". (Gabriel Castro, de Novo Hamburgo)

Domingo, 24 de agosto, 2014



23 de agosto de 2014

NÃO VAI TER ELEIÇÃO?




Diz-se em política que somente dois fatos são importantes: o fato novo e o fato consumado. O fato consumado da morte trágica do ex-governador Eduardo Campos produziu o fato novo da candidatura de Marina Silva, que mudou a eleição. Agora, outro fato novo pode interferir nas eleições de outubro. Atribui-se ao ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na sede da Polícia Federal em Curitiba, a ameaça de que, se abrir a boca, não vai ter eleição . Seria uma maneira de mandar um recado para seus muitos amigos políticos para que o tratassem bem, e à sua família.

Como nos melhores filmes da máfia, ao ver que não tem chance de se livrar da prisão, e de que empresas de seus filhos começaram a ser investigadas ontem pela PF, Paulinho , como Lula o chamava, resolveu negociar com a Justiça delação premiada, incentivado pela mulher, Marici - que há tempos vinha se desentendendo com o advogado Nélio Machado, ontem trocado pela advogada paulista Beatriz Catta Preta, especialista em delações premiadas.

O depoimento de Costa será para o juiz Sergio Moro, especialista em processos de lavagem de dinheiro que assessorou a ministra Rosa Weber no julgamento do mensalão. Com fama de rigoroso, Moro não soltou imediatamente os doleiros e pediu mais esclarecimentos ao Supremo tribunal Federal quando o ministro Teori Zavascki deu uma liminar soltando todos os acusados pela Operação Lava-Jato.

Deu tempo, assim, para que Zavascki recuasse da decisão inicial, mantendo todos presos por oferecerem perigo de fugir do país. Tudo indica que Costa vai falar o que sabe, o que pode, sim, influenciar as eleições de outubro, não a ponto de inviabilizá-las, mas de atingir políticos importantes em diversos partidos.

Costa é fruto de um dos mais perversos efeitos colaterais do presidencialismo de coalizão, distorcido na era Lula. Indicado por consórcio partidário composto por PP, PMDB e PT, esteve à frente da Diretoria de Abastecimento da Petrobras de 2004 a 2012, saindo de uma espécie de geladeira em que fora colocado por sucessivas diretorias anteriores ao lulismo. Entre outros negócios da estatal, ele estava na diretoria que concretizou a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, contestada pelo Tribunal de Contas da União.

Nos documentos encontrados em sua casa e em empresas pela PF, há muitas indicações de negociatas envolvendo empreiteiras e políticos, tudo junto e misturado com a ajuda do doleiro Alberto Youssef, também preso.

Um deles é o deputado federal André Vargas (sem partido), que está tendo sua cassação pedida pelo Conselho de Ética da Câmara por ter usado jatinho fretado por Youssef para um passeio com a família. Outro, o secretário nacional de Finanças do PT e tesoureiro da campanha de 2010 da presidente Dilma, João Vaccari Neto, acusado de ser um dos contatos de fundos de pensão com a CSA Project Finance Consultoria e Intermediação de Negócios Empresariais, empresa que Youssef usou para lavar R$ 1,16 milhão do mensalão, segundo a PF.

O ex-deputado José Janene, um dos 40 réus no processo do mensalão no STF, morto em 2010, era acusado de ter se apropriado indevidamente de R$ 4,1 milhões, usando como laranja o advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, também preso e que fez as acusações a Vaccari Neto dentro de uma negociação de delação premiada.

Ele é réu em duas ações penais: uma sobre supostas remessas fraudulentas para o exterior do laboratório Labogen, de propriedade de Youssef e que pode causar mais danos ao candidato do PT ao governo de SP, Alexandre Padilha; outra de lavagem de dinheiro de Janene por investimentos em uma empresa paranaense. Padilha foi acusado de, como ministro da Saúde, ter aprovado o Labogen, que servia de fachada para o doleiro enviar dinheiro para o exterior.

Documentos apreendidos com Costa, e que ele tentou destruir, mostram uma contabilidade detalhada sobre repasses de empreiteiras para campanhas políticas. Anotações do ex-diretor registram, por exemplo, o repasse, em 2010, de R$ 28,5 milhões ao PP, partido da base aliada cujo líder à época do mensalão era Janene, um dos responsáveis pela indicação de Costa ao cargo.

As empreiteiras citadas no documento são Mendes Júnior, UTC, Constran, Engevix, Iesa, Toyo Setal e Andrade Gutierrez. Mesmo que fale tudo o que sabe, vai haver eleição, assim como houve a Copa. Resta saber com que candidatos.

MERVAL PEREIRA- O GLOBO - 23/08

Sábado, 23 de agosto, 2014.


22 de agosto de 2014

LUIZA ERUNDINA ASSUME COORDENAÇÃO-GERAL DA CAMPANHA DE MARINA

Carlos Siqueira abandonou coordenação após divergência com marina
A deputada Luiza Erundina (SP) foi designada pelo presidente nacional do PSB como coordenadora-geral da campanha da coligação Unidos Pelo Brasil, que tem Marina Silva como candidata à Presidência e Beto Albuquerque como vice. A notícia foi divulgada na noite de ontem (21) em nota oficial no site do PSB.

Luiza Erundina substitui Carlos Siqueira, que abandonou a coordenação-geral da campanha de Marina Silva pouco após a nomeação da ex-senadora como candidata à Presidência no lugar de Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo no litoral de Santos no último dia 13.

Nascida em  Uiraúna (PB), Erundina é professora e está em seu quarto mandato como deputada federal por São Paulo, todos pelo PSB, partido ao qual é filiada desde 1997. Antes de entrar no PSB, ela passou 17 anos no PT (1980-1997). Como petista foi vereadora e prefeita de São Paulo e deputada estadual. Ela esteve no ato de filiação de Marina Silva ao PSB.


Sexta-feira, 22 de agosto,2014




21 de agosto de 2014

MARINA CANDIDATA: 'CRESCIMENTO DO PSB É TÃO IMPORTANTE QUANTO A CRIAÇÃO DA REDE'


Depois de um dia inteiro de reuniões a portas fechadas, que começaram por volta das 11 horas, o PSB formalizou na noite de quarta-feira(20/8) a indicação da ex-senadora Marina Silva para encabeçar a chapa à Presidência da República. Às 20h20, Marina iniciou seu pronunciamento na sede do partido em Brasília. A mensagem central do discurso foi de que o vínculo que existia entre ela e Eduardo Campos, morto na semana passada e de quem a ex-senadora anteriormente era vice, agora se estende ao PSB e à Rede Sustentabilidade: "Para mim, tão importante quanto a criação da Rede é o crescimento do PSB. Estamos juntos nesse sentido". Mas, apesar da retórica de união, Marina não subirá em todos os palanques do PSB nos Estados. "Onde não tem consenso, o PSB terá suas escolhas e a Rede as suas", disse.

O deputado gaúcho Beto Albuquerque, que patinava na tentativa de se eleger ao Senado neste ano, será o novo vice na chapa.

Ex-petista, ex-ministra de Lula, Marina Silva, depois de sair das eleições 2010 com patrimônio de quase 20 milhões de votos, passou a articular a criação de um partido, a Rede Sustentabilidade. Seu propósito era concorrer ao Palácio do Planalto neste ano por essa legenda, mas os planos foram frustrados pela Justiça Eleitoral, que indeferiu o pedido de registro da agremiação por problemas formais. Sem legenda, ela aceitou filiar-se ao PSB como vice numa chapa encabeçada por Eduardo Campos, principal líder da sigla. Nos dez meses entre o anúncio da parceria, o que transparecia é que a união era entre duas personalidades políticas fortes, muito mais do que entre dois partidos. O principal indício disso era na maneira como Marina se recusava a endossar algumas alianças do PSB nos estados. Ela não escondia que viabilizar a Rede no aspecto legal era sua prioridade. É justamente essa a grande novidade no discurso de hoje: o fato de ela colocar PSB e Rede no mesmo plano.

"Sinto-me parte solidária e interessada que o PSB leve adiante os planos de futuro partidário que tinham a inspiração de Campos. Sem Eduardo, temos hoje o que sempre nos uniu: a consciência clara de onde queremos chegar juntos. O programa é o pacto selado, o acordo maior que nos une", disse.

Mas o fato é que as arestas não foram aparadas: as divergências entre o PSB e os "marineiros" nos palanques estaduais continuam. "Hoje temos 14 estados com Rede e PSB juntos. O que foi decidido em termos de coligação é que o PSB tinha o direito de escolher essas alianças e que eu seria preservada de ter que apoiá-las. Nesse momento, permanece o mesmo que fizemos", afirmou Marina. "O Beto representará o PSB junto a essas alianças e eu estarei ao lado dos candidatos do PSB a deputado estadual e federal como já estava antes."

Campos – O luto pela trágica morte de Campos permeou a longa jornada de negociações e também se refletiu no discurso de Marina, que se emociou e teve de interromper a fala com a voz embargada. "Tudo aquilo que fizemos juntos é o que faremos daqui pra frente. Quero agradecer a todos vocês que comigo e Beto... Beto e eu... é difícil. A gente falava Eduardo e Marina", disse, ao se apresentar pela primeira vez como parte de uma nova chapa.

A partir desta quinta-feira, Marina terá pouco mais de dois minutos na propaganda eleitoral de rádio e televisão. ( Marcela Mattos e Talita Fernandes)

Quinta-feira, 21 de agosto,2014.


20 de agosto de 2014

PSDB APOIARIA MARINA EM EVENTUAL 2º TURNO ENTRE EX-SENADORA E DILMA



O PSDB apoiaria formalmente a ex-senadora Marina Silva (PSB) em um eventual segundo turno da eleição presidencial caso seu candidato, o senador Aécio Neves, fique fora da disputa final, disse à Reuters uma fonte do partido.

A avaliação é que tal aliança diminuiria as chances de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, ao unir dois grandes grupos díspares de eleitores que desejam mudança após mais de uma década de governo petista.

A disputa eleitoral tem sido acompanhada de perto por investidores, que esperam por uma mudança no governo após quase quatro anos de baixo crescimento econômico sob a política econômica de Dilma.
"O Brasil precisa de uma mudança, uma renovação. O país não pode tolerar mais quatro anos" de Dilma, disse uma fonte tucana de alto escalão, sob condição de anonimato.

Marina será oficializada como candidata do PSB nesta quarta-feira, ao aceitar a indicação do partido após a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, candidato original dos socialistas, em um trágico acidente aéreo na semana passada.

O acidente agitou a eleição de 5 de outubro, levando alguns eleitores a reconsiderarem o voto e também ameaçando as alianças políticas cuidadosamente costuradas nos bastidores da campanha.

Em nota, o PSDB disse que não procede a informação de que apoiaria Marina em um eventual segundo turno.
"A Coligação Muda Brasil esclarece que, em nenhum momento, se considera a possibilidade de Aécio Neves não disputar o segundo turno e vencer a eleição presidencial. Qualquer outra avaliação é fantasiosa", disse o partido

Uma pesquisa divulgada pelo Datafolha na segunda-feira mostrou Dilma estável na primeira posição com 36 por cento das intenções de voto, e Marina e Aécio em empate técnico na segunda colocação com 21 por cento e 20 por cento, respectivamente.

O cenário levaria a decisão para um segundo turno em 26 de outubro, já que Dilma ficaria com menos de 50 por cento dos votos válidos.

Sob a liderança de Campos, PSB e PSDB mantinham plataformas similares, mais ao centro e voltadas ao mercado. Os dois partidos negociaram algumas alianças nas corridas estaduais e era esperado que se unissem contra Dilma em um eventual segundo turno.

Marina, por outro lado, é associada a uma agenda de certa maneira mais à esquerda. Ela se filiou ao PSB somente em outubro do ano passado, no que ela mesma descreveu como um arranjo temporário até que consiga aprovar a criação de seu próprio partido, a Rede Sustentabilidade.

Dada a reputação de Marina de tomar decisões imprevisíveis e as ressalvas de setores mais conservadores em relação à ex-ministra do Meio Ambiente, alguns analistas vinham especulando que o PSDB se manteria neutro em um eventual segundo turno entre Dilma e a ex-senadora.

A fonte do PSDB, no entanto, afirmou algo diferente à Reuters. "Esperamos que Aécio esteja no segundo turno e vença a eleição. Mas se for Marina, o PSDB vai apoiá-la", disse a fonte, sob condição de anonimato.

A maioria dos eleitores de Aécio apoiaria Marina em um segundo turno, mesmo sem o endosso oficial do PSDB, segundo as pesquisas mais recentes. Mas um apoio formal pode ainda assim ser decisivo, pois mobilizaria a robusta máquina partidária tucana, incluindo uma rede de prefeitos, governadores e parlamentares significativamente maior e melhor organizada do que a do PSB.

Na mais recente pesquisa do Datafolha, Marina apareceu com 47 por cento das intenções de voto na simulação de segundo turno contra Dilma, que ficou com 43 por cento, num empate técnico no limite da margem de erro da pesquisa. No cenário com Dilma e Aécio, a petista ficaria com 47 por cento, ante 39 por cento do tucano.


SÃO PAULO (Reuters) - Por Brian Winter  

19 de agosto de 2014

FOI DADA A LARGADA

A presidente Dilma dormiu um dia com a possibilidade de vencer a eleição no primeiro turno, ou sendo a favorita para o segundo, e acordou com o segundo turno praticamente selado e a possibilidade de perdê-lo para Marina Silva, que não estava no páreo e se transformou do dia para a noite na favorita da eleição presidencial.

Será preciso, no entanto, depurar essas intenções de votos no tempo para saber o quanto de emoção elas contêm, e o que restará ao final. A menos que estejamos diante de um fenômeno eleitoral que será movido pela comoção até a boca de urna, não é plausível que a votação de 2010 seja o piso de Marina, e que daqui para frente ela só faça crescer na preferência popular.

É verdade que ela já chegou a 27% em uma pesquisa anterior, mas não ter alcançado patamar semelhante diante da exposição a que foi submetida nos últimos dias pode significar que tenha alcançado seu limite. O ex-governador Eduardo Campos não era uma figura nacional, e o fato de sua trágica e prematura morte tê-lo transformado em tal não resiste a 45 dias de uma campanha eleitoral acirrada como a que veremos a partir de hoje.

Por enquanto, Marina reconquistou seus eleitores tradicionais: basicamente os jovens, que saíram às ruas em 2013 e estão desiludidos com os políticos tradicionais, e os moradores das grandes e médias cidades. Ou a classe média "iluminista" e a garotada das redes sociais, numa definição sucinta usada na última eleição.


Mesmo sendo uma política experiente, com dois mandatos de senadora e atuação no Ministério de Lula, consegue manter uma postura que a afasta da imagem do político tradicional, além de se identificar com um terceiro grupo eleitoral, os evangélicos, de fundamental importância para sua votação como apontado na pesquisa sobre religiões realizada pela equipe do professor Cesar Romero Jacob da PUC do Rio de Janeiro.


Mas, a partir do documento que o PSB vai apresentar a ela, começarão também as dificuldades para Marina.


Ela, que não tomou o avião fatídico para não se encontrar em Santos com Márcio França, o candidato a vice de Alckmin, como fará agora campanha em São Paulo? Como serão suas relações com os representantes do agronegócio e do que chama de "velha política" que estavam fechados com Campos e com os quais agora ela terá que conviver? O fato de, num primeiro momento, Marina não ter tirado votos nem de Dilma nem de Aécio mostra que seus adversários estão consolidados em suas posições, e, no entanto, o crescimento de todos os três candidatos vai depender dos votos que conseguirão tirar dos concorrentes. Marina pode ganhar mais votos de Dilma do que de Aécio no primeiro turno; Aécio pode tirar votos de Marina nesses setores que a estão apoiando hoje sem grandes convergências, que existiam com Eduardo Campos. E Dilma pode recuperar votos que perdeu em setores importantes da classe média se conseguir manter a percepção de melhora de seu governo, que superou o índice mínimo de 35% de ótimo e bom, passando de 32% para 37%.

O fato de que Marina trouxe para dentro do cenário eleitoral um contingente de eleitores que se recusavam a votar (redução dos votos nulos, e em branco e abstenção) é festejado pelo PSDB, que considera possível atraí-los a partir de um maior conhecimento de seu candidato, que hoje é o mais desconhecido dos três. (O GLOBO)

Terça- feira, 19 de agosto,2014.

18 de agosto de 2014

DATAFOLHA "BOCA DE VELÓRIO" BOTA MARINA EMPATADA COM AÉCIO NO PRIMEIRO E VENCENDO DILMA NO SEGUNDO TURNO.


É impressionante o que acontece na pesquisa Datafolha. Marina Silva ganha tudo o que pode ganhar, sem que Dilma e nem Aécio percam nada. Nenhum votinho de Campos vai para Aécio. Nenhum votinho de Campos vai para Dilma. Todos os votos ficam com Marina. E na  maior mexida em votos brancos, nulos e indecisos da história deste país, todos eles vão para a ex-petista. Além disso, os "outros" candidatos perdem e todos os votos vão para Marina. Votos do Eymael e da Lucian Genro. Deste contingente saem 13% de votos e todinhos, sem perder nenhum, vão para Marina. Tudo conspira a seu favor. A começar pelo Datafolha.

Num cenário sem Campos e sem Marina, o Datafolha mostra Dilma vencendo no primeiro turno, pois os 8% de Campos são divididos entre Aécio e a petista, meio a meio. Datafolha também conseguiu outro fenômeno: Dilma melhorou a sua avaliação e, por isso, amplia a vantagem sobre Aécio no segundo turno. E por isso não caiu no primeiro turno.Quer dizer: assim como no aeroporto de Cláudio, não há saída para o tucano. Ele perde sempre.

Os resultados do Datafolha são muito espertos. Inusitados. Bem calculados. Como avisado aqui desde o início, são excelentes para Marina Silva e não são totalmente terríveis para Dilma e o são para Aécio. A primeira perde no segundo turno, o segundo nem para o segundo turno vai, mas deve ficar feliz da vida porque, afinal, se fosse, ainda assim seria derrotado pela petista. É a Folha de São Paulo querendo assumir um protagonismo que não é dela: é do eleitor.


Postado pela redação


 Segunda-feira,18 de agosto,2014.

16 de agosto de 2014

JUSTIÇA REJEITA PEDIDO PARA IMPUGNAR CANDIDATURA DE AGNELO AO GOVERNO DO DF


O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) negou na sexta-feira (15/8), por unanimidade, um pedido de impugnação do registro de candidatura de Agnelo Queiroz (PT) ao governo do Distrito Federal. Os desembargadores entenderam que não há nenhum fato que torne inelegível o candidato à reeleição. Após a decisão, o registro de Agnelo foi autorizado. 

O pedido de impugnação foi feito pela candidata a deputada federal Raquel Costa Ribeiro (PR). No pedido de impugnação, a acusação alegou que Agnelo não apresentou certidões negativas de processos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e que o atual governador responde a ações de improbidade na Justiça. A defesa do candidato afirmou que ele está apto a concorrer por ter apresentado todas as certidões negativas e não ter sido condenado em decisão colegiada, conforme previsto na Lei da Ficha Limpa. (EBC)

Sábado, 16 de agosto,2014


15 de agosto de 2014

PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS REALIZARÁ AUDIÊNCIA PÚBLICA EM COMBATE A CORRUPÇÃO



A Promotoria de Justiça de Águas Lindas realizará no dia 28 de Agosto de 2014 às 14:00 uma audiência pública onde serão discutidos os direitos e as ferramentas que a sociedade dispões para exercer o controle sobre as ações do Estado e sobre a prestação de contas dos gestores públicos.

A audiência será no Salão do Júri do Fórum de Águas Lindas de Goiás e terá como objetivo esclarecer a importância dos cidadãos na gestão pública e mostrar a força deste engajamento no combate a corrupção. 

Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

Sexta-feira, 15 de agosto,2014. 


Não percam

Sexta-feira, 15 de agosto,2014


14 de agosto de 2014

TUDO A VER!

Em tempos de campanha política, quando vale tudo na tentativa de pegar o voto do eleitor, principalmente, do mais humilde, nunca é demais relembrar a carta de despedida que o Imperador Vespasiano deixou para seu filho Tito. Nela, para justificar a construção do Coliseu de Roma, ele indagava o seguinte: "onde o povo prefere pousar seu clunis [sua bunda]: numa privada, num banco escolar ou num estádio?". A carta foi redigida em 22/7/79, ou seja, um dia antes da morte do Imperador e há 1935 anos. Eis o seu teor:

"Tito, meu filho, estou morrendo. Logo eu serei pó e tu, imperador. Espero que os deuses te ajudem nesta árdua tarefa, afastando as tempestades e os inimigos, acalmando os vulcões e os jornalistas. De minha parte, só o que posso fazer é dar-te um conselho: não pare a construção do Colosseum. Em menos de um ano ele ficará pronto, dando-te muitas alegrias e infinita memória. Alguns senadores o criticam, dizendo que deveríamos investir em esgotos e escolas. Não dê ouvidos a esses poucos. Pensa: onde o povo prefere pousar seu clunis [sua bunda]: numa privada, num banco de escola ou num estádio? Num estádio, é claro. Será uma imensa propaganda para ti. Ele ficará no coração de Roma por omnia saecula saeculorum [por todos os séculos] e sempre que o olharem dirão: 'Estás vendo este colosso? Foi Vespasiano quem o começou e Tito quem o inaugurou'. Outra vantagem do Colosseum: ao erguê-lo, teremos repassado dinheiro público aos nossos amigos construtores, que tanto nos ajudam nos momentos de precisão. Moralistas e loucos dirão que mais certo seria reformar as velhas arenas. Mas todos sabem que é melhor usar roupas novas que remendadas. Vel caeco appareat (Até um cego vê isso). Portanto, deves construir esse estádio em Roma. Enfim, meu filho, desejo-te sorte e deixo-te uma frase: Ad captandum vulgus, panem et circenses (Para seduzir o povo, pão e circo). Esperarei por ti ao lado de Júpiter."

Para seduzir o povo, "pão e circo". Onde falta o pão (economia desaquecida, PIB fraco, inflação alta etc.), o circo vira confusão e chingação (é isso o que vimos nos estádios quando anunciavam a presença de políticos). O povo, furibundo, irado, indignado, já não pousa seu traseiro nos estádios, ao menos não faz isso com satisfação. Tampouco o povo brasileiro se distingue pela bunda no banco escolar. A escolaridade média no Brasil (diz o relatório de 2014 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) é de 7,2 anos de estudo, a mesma que Kuwait e Zimbábue. A expectativa para a escolaridade das crianças que hoje estão na escola é estimada em 15,2 anos, igual a Montenegro e Irã. Que resta, então, ao brasileiro desgostoso? Colocar a bunda na privada. Alguns brasileiros fazem isso diariamente. Mas somente alguns! Como assim? (João Direnna)

Quinta-feira, 14 de agosto,2014