Mensagem

Cadastre-se você também, ja somos 46 brothers no Clube Vip *****

RESERVADO PARA SUA PUBLICIDADE

Calendario

16 de junho de 2017

WILMA DE FARIA MORRE AOS 72




Eram 23h40 de(15/06) de junho de 2017 quando a equipe médica anunciou a morte de Wilma Maria de Faria, no leito da Casa de Saúde São Lucas, em Natal (RN). Terminava ali a sua luta contra um câncer, descoberto há quase dois anos.

Veja o vídeo:

Wilma morreu lutando, assim como lutou a vida inteira por seus objetivos e projetos de vida. Como política, vitoriosa de grandes batalhas eleitorais, ganhou a marca de “Guerreira”.

Wilma de Maria nasceu em Mossoró no dia 17 de fevereiro de 1945. Formou-se mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde era professora licenciada do Departamento de Educação do Centro de Ciências Sociais e Aplicadas.

 Afastou-se da sala de aula para entrar para a política, pelas mãos do seu primeiro marido, o então governador Lavoisier Maia (hoje político aposentado). Era 1979. Depois, a partir de 1983, foi secretária do Trabalho e Bem-Estar Social no primeiro governo de José Agripino Maia (PDS hoje DEM).

Em 1985, Wilma enfrentou a sua primeira batalha política, como candidata e filiada ao PDS, sendo derrotada por Garibaldi Alves Filho (PMDB), hoje senador da República, na disputa pela Prefeitura de Natal.

No ano seguinte, em 1986, se elegeu deputada federal na Assembleia Constituinte. Seus votos em temas relacionados a direitos sociais e dos trabalhadores fizeram-na figurar entre os deputados nota 10, distinção concedida pelo Departamento Intersindical de Assuntos Parlamentares (DIAP).

Ficou dois anos em Brasília, retornando em 1988 para se eleger a primeira mulher prefeita de Natal, já filiada ao PDT. Quatro anos depois, já separada de Lavoisier Maia, apoiou e elegeu Aldo Tinoco prefeito de Natal, consolidando a sua liderança popular na capital potiguar.

Em 1996, rompida com Aldo Tinoco, mas com apoio do senador José Agripino, volta a se eleger prefeita de Natal. Em 1999 rompe com Agripino e, no ano seguinte, 2000, faz aliança histórica com os Alves, grupo liderado pelo ex-governador Aluizio Alves, para se reeleger prefeita. Ela teve como vice Carlos Eduardo Alves (PDT), indicado pela tradicional família. Wilma já estava filiada ao PSB, partido que ela presidiu no RN por quase duas décadas.

 Dois anos depois, em 2002, rompe com os Alves, enfrenta os Maias, e liderando um novo palanque se elege a primeira mulher governadora do Rio Grande do Norte. Wilma derrotou no segundo turno o governador Fernando Freire (hoje preso por corrupção), apoiado pelos Alves. E no primeiro turno deixou para trás o ex-ministro e ex-senador Fernando Bezerra, apoiado pelos Maias.

Wilma de Faria foi reeleita governadora em 2006, numa disputa histórica com Garibaldi Filho, vencendo no segundo turno com 824.101 votos, correspondentes 52,38% dos votos válidos. Foi a única derrota eleitoral de Garibaldi como candidato.

 Depois de oito anos no cargo de governadora, veio 2010 e a maior derrota eleitoral de Wilma. Ela foi superada por Garibaldi e José Agripino na disputa pelas duas vagas do RN no Senado Federal. Em 2012, nas eleições municipais, aceitou ser vice-prefeita na chapa vitoriosa do prefeito de Natal Carlos Eduardo.

Em 2014, sofreu nova derrota para o Senado, perdendo a eleição para a então deputada federal Fátima Bezerra (PT).

A “Guerreira” já não tinha mais o patrimônio eleitoral denso, mas não desistiu da política. Em 2016 se elegeu vereadora de Natal, vestindo a camisa do PT do B. Foi a sua última campanha eleitoral.

Recentemente, se licenciou do mandato para travar a sua luta mais difícil, contra o câncer e pela vida, mas sem força para suplantar a terrível doença.

Wilma Maria de Faria entra para a história como uma das figuras mais importantes e vitoriosas da política do Rio Grande do Norte.

VELÓRIO

O velório da ex-governadora Wilmade Faria acontece na Catedral Metropolitana, em Natal.

Às 18h, será realizada missa de corpo presente e às 19h o cortejo segue para o cemitério e crematório Morada da Paz, em Emaús (Parnamirim), onde será sepultado às 20h.


(Com o Jornal de Fato)

Sexta-feira, 16 de Junho, 2017 as 7hs30

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.