Mensagem

Cadastre-se você também, ja somos 46 brothers no Clube Vip *****

RESERVADO PARA SUA PUBLICIDADE

Calendario

15 de janeiro de 2017

MORADORES DO ENTORNO CHEGAM A GASTAR ATÉ 6 HORAS COM TRANSPORTE




Das mais de 470 mil pessoas empregadas que moram nessas cidades, 212 mil têm no DF seu local de trabalho
Os trabalhadores que vêm diariamente do entorno do Distrito Federal sofrem com o tempo excessivo no trânsito e com as condições precárias do transporte público. Este é o caso do gerente de restaurante Adriano Araújo, 22 anos, morador de Luziânia. Ele diz que para chegar ao trabalho, na Vila Planalto, acorda às 3h da madrugada e leva cerca de três horas para chegar. “Isso quando o ônibus não quebra no meio do caminho”, lamenta Adriano.

Um levantamento da Compainha de Planejamento (Codeplan) revela que 41% dos moradores das cidades goianas trabalham na capital brasileira e percorrem a BR 040 todos os dias. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), são mais de cem mil veículos que fazem esta rota. A quantidade de carros nas ruas – em média, 37 para cada 100 pessoas – e as grandes distâncias dos percursos entre residência e trabalho fazem com que a grande parte da população gaste tempo excessivo no trânsito. Do trecho concedido, os fluxos mais intensos vêm da Cidade Ocidental, Valparaíso e Luziânia. Das mais de 470 mil pessoas que moram nessas cidades e possuem emprego, 211,9 mil têm no DF seu local de trabalho.

Com a situação semelhante, a manicure Antonia Soares, moradora do Valparaíso, também sente dificuldades nos deslocamentos diários que a rotina exige. Segundo ela, em horário de pico, o mínimo de tempo gasto dentro do ônibus é de 1h30. E, para driblar a situação do engarrafamento, ela desce em Santa Maria para pegar o BRT (Bus Rapid Transit) e chegar rápido à Asa Sul. “Quando preciso chegar um pouco mais cedo, faço isso ou pego carros que fazem lotação”, diz.

Planejamento

A professora de arquitetura e urbanismo Larissa de Aguiar lembra que Brasília foi concebida para 500 mil habitantes, ainda assim, recebe o fluxo diariamente de quem busca a capital como o local de trabalho. “O DF é planejado para centralizar o Brasil, ele abastece todo o entorno. Tinha que ter crescimentos mais descentralizados”, esclarece. “Esse é um dos motivos do trânsito excessivo”, opina.

A especialista avalia que a tendência é o crescimento dos arredores e do próprio DF, em função do alto poder da população da região. “Seria o caso de o governo de Goiás e do DF conversar e descentralizar as coisas”. Segundo Larissa, a qualidade de vida dessas pessoas melhoraria com mais planejamento e investimento.
Por Ana Karolina Ribeiro.

Domingo, 15 de Janeiro de 2017

MP ABRE INVESTIGAÇÃO PARA APURAR ROMBO NAS CONTAS PÚBLICAS DO ESTADO DE GOIÁS
 
O Procurador-Geral de Justiça de Goiás, Lauro Machado, determinou a abertura de procedimento investigatório para apurar o saldo negativo da conta centralizadora do Estado. O rombo nas contas públicas do Estado passou de R$ 621,7 milhões em 2010 para R$ 1,5 bilhão em 2014
 “O déficit quase triplicou no período de apenas quatro anos, o que resultou em problemas de caixa, de um mandato para o outro, da ordem de R$ 317 milhões, com implicações sobre o pagamento de obrigações contraídas”, afirmou o procurador.

Machado também determinou que sejam analisadas as consequências do crescimento do saldo negativo para o orçamento estadual, como a impossibilidade do aumento de despesas, por inadequação orçamentária e financeira, com repercussão na correta aplicação dos recursos do estado. Em virtude do déficit, é possível que vários serviços públicos deixaram de ser prestados, culminando com um prejudicial atendimento às demandas do povo goiano.

A investigação atende ao pedido em representação do Procurador Geral de Contas, Fernando dos Santos Carneiro, encaminhada ao Ministério Público. O documento do procurador enfatiza que foram inscritos na rubrica “Restos a Pagar” a soma de R$ 317 milhões sem a devida provisão de caixa. Os números se referem às contas do governador Marconi Perillo (PSDB) do ano de 2014.

Para Carneiro, a inscrição desse volume de restos a pagar fere o Art. 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal. O artigo proíbe ao titular de qualquer um dos Poderes, nos últimos dois quadrimestres do mandato, contrair obrigação de despesa que não possa ser cumprida integralmente dentro dele, ou que tenha parcelas a serem pagas no exercício seguinte sem que haja suficiente disponibilidade de caixa para este efeito. A irregularidade, segundo Carneiro, ocorreu devido ao saldo negativo da Conta Centralizadora ignorado na contabilidade do Governo.

Diante dos fatos, o Procurador-Geral de Justiça, via da Portaria nº 4/2016, determinou que se apure a notícia de irregularidade nas contas de governo de 2014, uma vez que o Relatório da área técnica da gestão de contas de governo do TCE-GO comprovam que o déficit.

TCE e Executivo

Cabe ressaltar que, em abril do ano passado, entidades de classe e da sociedade civil, entre elas a Contas Abertas, encaminharam representação ao conselheiro corregedor do Tribunal de Contas do Estado do Goiás, Celmar Rech, pedindo afastamento do conselheiro da Corte, Edson José Ferrari. A intenção era impedir que Ferrari julgasse as contas do governo em 2015, o que foi acatado.

No pedido, entidades apontam haver indícios de que o Conselheiro Edson Ferrari não só mantinha uma íntima relação de amizade com o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), mas de gratidão, de modo a afirmar que iria agir contra aqueles que ousassem a se postar no caminho do chefe do executivo. Os representantes dos Ministérios Públicos afirmaram, ainda, que, o governador, por sua vez, retribuiu a lealdade, afirmando ao Conselheiro que “somos uns pelos outros aí”.


Em maio, o Ministério Público de Goiás (MPGO) requereu na Justiça a suspensão imediata do conselheiro Edson Ferrari do cargo no Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO). A ação de improbidade administrativa foi proposta pelo promotor de Justiça Fernando Krebs.

Domingo, 15 de Janeiro de 2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.